Category Archive : Bem Estar

Saldo de crescimento de emprego cresceu em 19% em 2019

Há algo em comum entre restaurantes, salões de beleza, clínicas médicas e lojas de assistência técnica especializada. Todos esses estabelecimentos fazem parte do setor de serviços, o principal responsável pelo avanço do emprego formal em Minas Gerais. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ele gerou 55.213 vagas com carteira assinada de um saldo total de 97.720 postos de trabalho abertos no Estado em 2019.

Os dados divulgados pelo Ministério da Economia, na última sexta-feira (24/01), mostram uma recuperação do emprego formal em Minas Gerais, mesmo com as dificuldades fiscais enfrentadas pelos municípios mineiros. No acumulado do ano, o Estado registrou 15.801 postos de trabalho a mais que em 2018. Essa diferença representa uma evolução de 19,28% no estoque de vagas abertas.

A expansão de admissões em relação às demissões deve-se, especialmente, a setores estratégicos para a economia mineira, como a construção civil (7,72%), a indústria extrativa mineral (4,04%) e os serviços (3,43%). A agropecuária, por sua vez, foi o único setor a registrar recuo no número de vagas formais em Minas (-0,93%). Já o comércio fechou o ano com saldo positivo de 1,37% de contratações.

A economista da Fecomércio MG, Bárbara Guimarães, atribui a reversão do quadro de desemprego a fatores como a inflação controlada, a queda dos juros básicos a 4,5% ao ano e as reformas estruturais aprovadas. “O ambiente de otimismo vivido no ano passado permitiu setores como a mineração – afetada no início de 2019 pela tragédia em Brumadinho – e a construção civil – em baixa desde a crise – elevarem o percentual de contratações no Estado”, avalia.

Em relação ao comércio, Bárbara considera que o consumo aquecido e a confiança do empresário foram determinantes para a evolução do emprego em Minas. “As medidas de liberalização da economia implementadas no país durante o ano passado motivaram um comportamento mais positivo de quem empreende. Não por acaso, o Índice de Condições Atuais do Empresário do Comércio de Belo Horizonte expandiu 22 pontos percentuais de 2018 para 2019”, quantifica.

Números anteriores à crise

No Brasil, os resultados do Caged 2019 revelam que 644.079 vagas formais foram geradas, 21,63% a mais que o apurado em 2018. O saldo é o melhor em números absolutos desde 2013, quando o país criou mais de 1,1 milhão de empregos com carteira assinada. Todos os oito setores verificados encerram o ano com estoque positivo, com destaque para os serviços, responsável pela geração de 382,5 mil postos de trabalho, e para o comércio, com 145,4 mil admissões.

Entre as regiões geográficas do país, os melhores saldos de postos de trabalho formais no ano passado ficaram como a Região Sudeste (318,2 mil), seguida pela Sul (143,2 mil), Nordeste (76,5 mil), Centro-Oeste (73,4 mil) e Norte (32,5 mil). Já em relação aos estados, os desempenhos mais satisfatórios foram registrados em São Paulo (184,1 mil), Minas Gerais, (97,7 mil) e Santa Catarina (71,4 mil).

Opção pós-reforma

O trabalho intermitente também colaborou para o resultado do Caged em 2019. No período, a modalidade gerou 85,7 mil empregos, 13,3% do total de vagas criadas em todo o país. Os setores de serviços (39,7 mil) e comércio (24,3 mil) foram os destaques dessa forma de trabalho, que permite ao profissional prestar atividades em períodos alternados, conforme a demanda do empregador.

Spotify revela as principais tendências para um 2020 com mais qualidade de vida e (claro!) mais música

Um ano novo se inicia e com ele chega o momento de renovar aquela lista de metas e prioridades para o próximo ano: pegar firme na academia, melhorar a alimentação e até aliviar o estresse do dia a dia.

Não importa quais sejam os objetivos, o Spotify reuniu as principais tendências da plataforma para te ajudar a pegar firme nessa rotina de autocuidado, baseado nas mais de 54 milhões de playlists focadas em estilo de vida e conteúdos que os usuários do Spotify estão ouvindo globalmente. Afinal, por que não deixar a música dar aquele “empurrãozinho” nas metas para melhorar a qualidade de vida em 2020?

Em 2019, as 10 músicas mais escutadas para treinos e atividades de bem-estar no Brasil foram:

1 – Ed Sheeran e Justin Bieber: I Don’t Care
2 – Alok, Felix Jaehn, The Vamps: All the Lies
3 – Bastille, Marshmello: Happier
4 – Sam Smith, Normani: Dancing With A Stranger
5 – Maroon 5, Cardi B: Girls Like You
6 – Anitta, Lexa, Luísa Sonza, Mc Rebecca: Combatchy
7 – Shawn Mendes: If I Can’t Have You

8 – Sofia Reyes, Anitta, Rita Ora: R.I.P.
9 – Shawn Mendes: Lost in Japan
10 – Jonas Blue, Lennon Stella, Liam Payne: Polaroid

Músicas para treinar e se exercitar foram tocadas mais de 26 milhões de vezes no Brasil. São mais de 273 mil playlists criadas por usuários brasileiros para práticas de exercícios.

Além disso, o Spotify destacou algumas tendências e dados globais, baseado nos hábitos de consumo de áudio dos usuários da plataforma no mundo todo:

• “And the Oscar goes to“: Os ouvintes criaram mais playlists de corrida do que qualquer outro tipo de treino (mérito para a Dinamarca, que venceu disparado nesse quesito). Yoga segue com alta popularidade e a Suécia pode ser a nação mais zen do mundo, com base no alto número de listas de reprodução de meditação e yoga criadas pelos ouvintes do Spotify. Para se ter uma noção, os ouvintes suecos criam essas playlists a uma taxa de 521% mais alta que os ouvintes de outros países.

• Previsões para 2020: o foco no autocuidado continuará reinando em 2020. As músicas “thank u, next “, de Ariana Grande, “Good as Hell “, de Lizzo e “Love Myself “, de Hailee Steinfeld foram verdadeiros hinos populares de empoderamento feminino, presentes em milhares de playlists no mundo todo. Além disso, vimos um aumento de 113% nas playlists de meditação no ano passado, superior ao de qualquer outra prática de bem-estar. Também houve um aumento na reprodução de playlists de pilates (71%), de treinamento com pesos (66%), e prevemos que todos continuarão a crescer em popularidade em 2020.

• ZZZzzz: a reprodução de podcasts de saúde e fitness aumentou 145% no ano passado. A novidade é que os ouvintes estão se apaixonando por podcasts do sono! O podcast mais popular da categoria de saúde e fitness no momento é “Sleepy “, onde o apresentador Otis Gray lê histórias clássicas para ajudar os ouvintes a dormir. Bons sonhos!

• Globalmente, a música ”‘Till I Collapse ”, do Eminem, é a faixa mais ouvida nas playlists de exercícios no momento. “I Don’t Care “, de Ed Sheeran com Justin Bieber é a segunda música de treino mais ouvida, seguida por “Dance Monkey ” de Tones and I, “If I Can’t Have You” de Shawn Mendes e “Beautiful People ” de Ed Sheeran e Khalid.

As músicas de treino mais tocadas no Spotify, globalmente (de 16 de setembro a 15 de dezembro de 2019):

• “‘Till I Collapse ” – Eminem, Nate Dogg
• “I Don’t Care ” – Ed Sheeran, Justin Bieber
• “Dance Monkey ” – Tones and I
• “If I Can’t Have You ” – Shawn Mendes
• “Beautiful People ” – Ed Sheeran, Khalid
• “Sucker ” – Jonas Brothers
• “SICKO MODE ” – Travis Scott
• “Higher Love ” – Kygo, Whitney Houston
• “Lose Yourself ” – Eminem
• “i’m so tired… ” – Lauv, Troye Sivan

Proteja-se: Dia Mundial da Vacinação Contra o Sarampo em Curvelo

A Secretaria de Saúde de Curvelo comunicou que neste sábado (30), acontecerá o Dia Nacional de Vacinação contra o Sarampo destinada a adultos que tenham de 20 a 29 anos.

A campanha será realizada apartir das 08:00 ás 17:00 em todos os Centros de Saúde e Estratégias de Saúde da Família, além de também ser disponibilizada no Supermercado Cordeiro, Drogaria Araújo e Cordeiro Atacarejo para que toda população tenha um fácil acesso a vacinação e não deixe de se vacinar.

É importante lembrar que o Sarampo tem ameaçado a vida e o bem estar de diversas pessoas ao redor do País. Para se vacinar, não esqueça de levar o seu Cartão de Vacinação e o seu Cartão SUS e se proteja contra o Sarampo

Foco na saúde: Você sabia que doenças do sono podem causar tristeza, estresse e diversos outros problemas?

Nossos pais e avós dormiam melhor do que dormimos hoje? Tudo indica que sim, já que dados da Associação Brasileira do Sono demonstram que 60% dos brasileiros dormem menos de 7 horas por noite.

De acordo com a pesquisa “Episono São Paulo”, feita pela pesquisadora Monica Levy, só na cidade de São Paulo, uma em cada três pessoas têm apneia obstrutiva do sono – quando a respiração para e volta diversas vezes durante o sono.

Já um outro estudo realizado pelo Datafolha com o Instituto do Sono mostrou que 23% da população no Estado de São Paulo se queixam de sono insuficiente. O Detran também pode contribuir com dados sobre o tema, e indica que 20% dos acidentes de trânsito estão associados a indivíduos sonolentos.

O que explica essa piora na qualidade do nosso na geração Z – pessoas nascidas entre os anos 1990 e o início dos anos 2010? Alguns especialistas, como a própria Monica Levy, apontam alguns palpites.

Essa geração foi diretamente atingida pela quarta e última grande onda causadora da privação do sono na sociedade moderna: a criação da web e a popularização da internet, que aconteceu a partir de 1995. 

Antes dela, outros grandes acontecimentos influenciaram o sono de gerações pregressas: a Revolução Industrial, com a adição de mais um turno de trabalho, o surgimento da luz elétrica, em 1879, e a televisão, na década de 1920.

Mas, além da internet, a geração Z também tem sido destaque em relação ao maior consumo de substâncias para inibir ou retardar o sono. É comum entre os jovens o consumo de bebidas energéticas e de bebidas alcoólicas. 

Como, juntas, elas interferem na privação do sono? As bebidas energéticas têm poucas substâncias estimulantes, como a taurina e a cafeína, mas o efeito delas é potencializado pela ação do álcool das bebidas destiladas com as quais são misturadas.

Talvez você não saiba, mas o álcool tem ainda um outro papel determinante nessa equação: ele priva a execução dos sonhos. Por noite, num sono normal, sonhamos aproximadamente 90 minutos. Eles são importantes porque proporcionam o bem-estar físico e psicológico. 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 45% da população mundial sofre com algum tipo de distúrbio do sono. Vamos descobrir um pouco mais sobre cinco deles: 

1 – INSÔNIA

A insônia é um dos distúrbios do sono mais comuns. Pode aparecer caracterizado como uma dificuldade de iniciar o sono, de manter o sono e ainda naquela sensação de cansaço durante o dia, depois de uma noite mal dormida.

Ela pode surgir solitária ou associada a alguma outra doença, como a depressão, alterações hormonais ou doenças neurológicas. Pode, ainda, ser provocada por substâncias como remédios, álcool, tabaco, diuréticos ou alguns tipos de antidepressivos.

A insônia é considerada crônica quando as dificuldades para dormir ocorrem em pelo menos três noites da semana durante três meses.

Tratamento:  por conta das suas inúmeras causas, é importante ir ao médico para um diagnóstico correto. Uma vez que a insônia como consequência de alguma doença é descartada, você pode investir em hábitos saudáveis para o sono.

Por exemplo, evitar luzes de televisores e celulares perto do seu horário de dormir. Ambientes silenciosos e confortáveis para um sono duradouro. 

2 – APNEIA DO SONO

Como já foi citado no início desse texto, a apneia do sono é um distúrbio que ocorre quando a respiração é interrompida durante o sono, diversas vezes, por no mínimo 10 segundos. Ele impede que o corpo descanse e causa sintomas como sonolência, dores de cabeça, ronco, irritabilidade e mais. 

Obesidade e deformidade facial são as principais causas da apneia, que pode ainda ser leve, moderada ou severa. Se não tratadas, as crises podem aumentar chances de AVC, infarto e problemas como hipertensão arterial.

Tratamento: por meio de aparelhos que ajudam a manter o nível de oxigenação estável durante a noite. Em casos leves, o uso de um dispositivo ortodôntica, que ajuda a manter a faringe aberta, pode funcionar. Mas, além disso, perder peso e melhorar os hábitos alimentares também são necessários.

3 – SONAMBULISMO

O sonambulismo é um distúrbio que provoca uma parassonia – alteração do padrão do sono devido a ativação de áreas do cérebro em momentos inapropriados. A pessoa caminha, conversa e faz outras atividades motoras enquanto dorme.

Tratamento: em geral, o sonambulismo não é tratado porque os episódios tendem a diminuir a partir da adolescência.  Mas, em alguns casos, são receitados ansiolíticos para regularizar o sono.

4 – SÍNDROME DAS PERNAS INQUIETAS

A síndrome das pernas inquietas é associada à necessidade de movimentar as pernas, durante o repouso ou na hora de dormir. Sua causa é genética, mas pode piorar em momentos de estresse ou consumo de estimulantes como cafeína ou álcool. Ela atrapalha o sono e pode provocar sonolência e fadiga.

Tratamento: É necessário evitar o uso de substâncias como álcool, fumo e cafeína. Praticar exercícios físicos e evitar a privação de sono já que o cansaço piora o quadro. 

5 – BRUXISMO

É um distúrbio caracterizado pelo ato inconsciente de ranger e apertar os dentes, causando: alterações dentárias, dores de cabeça e na mandíbula.

Tratamento: Um dentista pode indicar um dispositivo encaixado sobre os dentes para evitar o desgaste, correções de alterações dentárias, além de métodos de relaxamento e fisioterapia.

CONFORTO PARA DORMIR BEM

O lugar que você dorme pode fazer toda a diferença quando o assunto é a qualidade do seu sono. Por isso, faça algumas mudanças no seu quarto para ajudar as suas noites a serem mais aproveitadas.

Por exemplo, limpe constantemente a mesinha de cabeceira ao lado da sua cama, a poeira pode atrapalhar sua respiração durante o sono. Prefira os tipos de colchões e travesseiros ergonômicos – aqueles adequados ao peso da pessoa.

De mulher pra mulher: Penélope Car novo aplicativo de mobilidade urbana chega em Curvelo

Com a evolução da mobilidade urbana um problema que deveria ser resolvido acabou desenvolvendo outros: o aumento da violência e assédio sexual contra mulheres.

Recentemente muitos casos vem sido denunciados, o número de registro contados chegam a 46 casos, sendo que podem haver muitos outros casos. Muitas mulheres acabam ficando com medo de denunciar ou se sentem desamparadas o que geralmente acontece com frequência. Os aplicativos usualmente se pronunciam sempre ressaltando que só é disponibilizado para os motoristas o uso para a prestação de serviços e que eles são independentes da empresa para a realização do mesmo.

Não Há segurança

O controle de uso de contas para motoristas de aplicativo deixa a desejar, muitas contas são usadas e vendidas diversas vezes, algo que não deveria acontecer por isso nunca se sabe a procedência do motorista que estará te levando ao seu destino. A sensação de não estar segura nem em um lugar que te promete segurança é horrível, além dos carros de aplicativo taxistas também não passam segurança, como você se sente segura andando com alguém que não conhece sem saber como essa pessoa é.

O aplicativo Penélope Car

O app Penélope Car é desenvolvido para atender mulheres para que casos de violência e assédio deixem de acontecer, é importante frisar que esse aplicativo esta disponível para vários lugares e que só são aceitas mulheres tanto para prestarem o serviço de motorista quanto para ser as passageiras do veículo.

Em Curvelo o app já esta disponível para download se você quiser prestar serviços para esse aplicativo basta ir até a sua loja de aplicativos pesquisar Penélope Car e realizar seu cadastro e se você quer ser passageira é só realizar mesmo processo.

Redes Sociais:

Facebook:https://www.facebook.com/penelopecar2019/

Instagram: https://www.instagram.com/penelopecar2019/

Mais de 391 mil ocorrências por morte em todo o país foram indenizadas pelo DPVAT

As ocorrências no trânsito causam, todos os anos, cerca de 1,3 milhão de mortes no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, os dados do Seguro DPVAT mostram que mais de 391 mil acidentes fatais ocorreram no país e foram indenizados pelo seguro obrigatório na última década. Os números ainda podem aumentar, uma vez que vítimas e beneficiários têm até três anos para dar entrada no seguro obrigatório. Após o fim do prazo, estima-se que mais de 398 mil indenizações terão sido pagas por morte no trânsito em todo o país.

A projeção do total de sinistros pagos após o prazo de três anos para dar entrada na indenização utiliza a base histórica de 2012 a 2017 para calcular o volume médio de pagamento no primeiro, segundo e terceiro anos em todo o país. A partir disso, são projetados os pedidos de indenizações pendentes, chegando, assim, ao total de pagamentos a serem realizados até o fim do período de três anos.

De acordo com o levantamento da Seguradora Líder, São Paulo (61.322) e Minas Gerais (42.778) registram os maiores quantitativos de acidentes fatais ocorridos e indenizados pelo seguro obrigatório. Após o prazo de três anos para solicitar o benefício, a projeção é que tenham sido pagos mais de 62.387 e 43.546 seguros por morte, respectivamente. Na sequência aos dois primeiros colocados, estão Paraná (27.544), Bahia (27.494) e Rio de Janeiro (26.254). Depois do período prescricional, estima-se que terão sido mais de 28 mil pagamentos no Paraná e na Bahia, e mais de 26 mil no Rio de Janeiro em função de acidentes de trânsito fatais.

Fonte: Seguradora Líder / Divulgação

Quando são analisadas as capitais, São Paulo lidera o ranking, com 12.112 acidentes fatais e indenizados pelo Seguro DPVAT na última década. O Rio de Janeiro vem em segundo lugar, com mais de 8 mil ocorrências indenizadas por morte. Na sequência, estão Fortaleza (3.339), Goiânia (3.125) e Belo Horizonte (3.004). Já Florianópolis (666), Rio Branco (635) e Vitória (428) aparecem nas últimas posições.

O superintendente de Operações da Seguradora Líder, Arthur Froes, chama atenção para a distância do Brasil em relação ao cumprimento da Década de Ação pela Segurança no Trânsito, lançada pela ONU em 2011, e para a importância de instrumentos de proteção como o Seguro DPVAT em um cenário em que milhares perdem a vida todos os anos.

“Medidas que intensificam a fiscalização, como a Lei Seca, e campanhas de conscientização da população, como o Maio Amarelo e a Semana Nacional de Trânsito, são grandes avanços na busca pela diminuição dos acidentes fatais, mas o cenário continua mostrando a importância de investir em educação para a prevenção de acidentes; na formação de condutores; e reforço da fiscalização em todos os estados do Brasil. Também é fundamental que haja mecanismos de proteção para as vítimas de acidentes, como o Seguro DPVAT, que tem caráter social e dá apoio às vítimas e seus familiares em um momento tão difícil”, explica o especialista.

Acesse os dados completos aqui.

O DPVAT é um seguro obrigatório de caráter social que protege os mais de 210 milhões de brasileiros em casos de acidentes de trânsito, sem apuração da culpa. Ele pode ser destinado a qualquer cidadão acidentado em território nacional, seja motorista, passageiro ou pedestre, e oferece três tipos de coberturas: morte (valor de R$ 13.500), invalidez permanente (de R$ 135 a R$ 13.500) e reembolso de despesas médicas e suplementares (até R$ 2.700). A proteção é assegurada por um período de até 3 anos.

Dos recursos arrecadados pelo Seguro DPVAT, 50% vão para a União, sendo 45% para o Sistema Único de Saúde (SUS) para custeio da assistência médico-hospitalar às vítimas de acidentes de trânsito, e 5% são para o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), para investimento em programas de educação e prevenção de acidentes de trânsito. Os outros 50% são direcionados para despesas, reservas e pagamento de indenizações às vítimas. De janeiro a outubro deste ano, a parcela destinada ao SUS totalizou R$ 852,4 milhões e, para o Denatran, R$ 94,7 milhões. Nos últimos 11 anos, essa contribuição soma mais de R$ 37,1 bilhões.

Sobre a Seguradora Líder-DPVAT
Em operação desde janeiro de 2008, a Seguradora Líder-DPVAT é uma seguradora privada responsável pela administração do Seguro DPVAT no Brasil. A seguradora se tornou uma das principais fontes para dados relacionados a acidentes de trânsito. No site www.seguradoralider.com.br estão disponíveis para o cidadão diversas informações sobre o Seguro DPVAT e estatísticas.

Aventureira: Brasileira viaja o mundo inteiro conhecendo ilhas a bordo de um Stand Up Paddle

Após Galápagos, Sri Lanka e Páscoa, Roberta Borsari embarca para expedição no Havaí: terra do surfe e da filosofia Ho’oponopono

Há 10 anos a atleta e publicitária Roberta Borsari se aventura pelo mundo com uma prancha de Stand Up Paddle a tiracolo. A paulistana, que esteve no top 10 do circuito mundial de kayaksurf por mais de uma década, conheceu e se apaixonou pelo esporte em viagem ao Havaí em 2010. Desde então, visita ilhas ao redor do globo e, entre as remadas, registra os valiosos aspectos culturais, históricos, sustentáveis e naturais de cada um deles em seu projeto SUPTravessias.

Com ele, já remou com tubarões-martelo em Galápagos, realizou travessias icônicas nas Ilhas de Páscoa no Oceano Pacífico e mostrou a cultura do Sri Lanka, país ainda pouco aberto ao turismo. Em águas nacionais, fez a circunavegação de Fernando de Noronha e foi a primeira brasileira autorizada a fazer a travessia no Arquipélago de Alcatrazes, no litoral norte paulista.

O próximo destino levará Roberta de volta ao início dessa jornada com o SUP já que, nos próximos dias, a publicitária desembarca em Oahu, no Havaí, ilha onde fica Honolulu e o porto de Pearl Harbor.

Além da imensidão de água para desbravar e da cultura polinésia autêntica, o Havaí foi escolhido também por ser berço da filosofia de cura psicológica Ho’oponopono. A prática, criada por um terapeuta havaiano, consiste na repetição de frases curtas com o objetivo de purificar corpo e mente. Roberta conheceu a técnica após diagnóstico de câncer de mama em 2007 e ainda a pratica. A doença foi vencida há dois anos e, desde então, a experiência foi transformada no site www.xocancer.com.br.

Planejamento

As viagens de Roberta levam, em média, seis meses para saírem do papel, dependendo da complexidade da operação e destino eleito. Isto porque a prioridade é sempre ter certeza de que as atividades que quer praticar – como mergulho, SUP ou remo – são adequadas à época do ano. Além disso, as estruturas variam bastante entre as ilhas, então é preciso checar mais do que condições climáticas e de vento, mas também ter estabelecidos apoios locais para garantir que tudo o que é preciso para realizar o esporte em segurança esteja disponível.

Por isso, ela firma parcerias com operadores de mergulho e turismo para suporte com barcos de apoio durante as travessias e para levantar informações sobre os destinos. É preciso ter tudo mapeado, afinal, são horas em cima de uma prancha em locais remotos a ver belezas naturais incríveis tão de perto.

“O Stand Up Paddle é silencioso, tem um bom deslocamento, tem vista à longa distância porque você fica em pé e permite descer da prancha e fazer mergulho ali mesmo onde está”, explica.

Ao lado destas facilidades e tamanha proximidade com a natureza, o esporte é absolutamente sustentável, já que não tem motor, não espalha óleo nas águas e não gera ruído para os animais. Além de se preocupar em gerar a menor quantidade de lixo e impacto possível pelas ilhas em que passa, a atleta também trabalha ativamente pelo meio-ambiente com a Liga das Mulheres pelos Oceanos, instituição que reúne diversas profissionais em prol da conservação das águas.

Viajante Solo

Outra preocupação de Roberta nas viagens é a segurança, já que ela parte sempre sozinha para suas expedições. A atleta esteve nas Maldivas, Sri Lanka, Galápagos, Taiti, Ilha de Páscoa e vários outros lugares como uma viajante solo. “Já viajei o mundo inteiro sozinha e me sinto muito segura porque tenho certos cuidados. É preciso conhecer as rotas que vai fazer, estabelecer uma base de apoio, principalmente em lugares remotos, e sempre informar seu cronograma a alguém”, afirma.

Estar atualizada com o que acontece nos universos políticos e culturais de cada destino também é fundamental e faz parte do protocolo. “Pesquiso muito sobre costumes locais e o momento atual da região. É preciso estar bem informada”, completa.

As expedições de Roberta Borsari podem ser vistas no site www.suptravessias.com.br e para mais informações sobre a atleta acesse www.robertaborsari.com.br.

Sobre a Atleta

A paulistana Roberta Borsari manteve-se no top 10 do circuito mundial de kayaksurf por mais de 10 anos, conquistou títulos nacionais e internacionais e foi a primeira mulher a surfar de caiaque a pororoca do rio Araguari, na Amazônia, e a realizar diversas travessias inéditas de Stand Up Paddle pelo mundo. Também foi a primeira atleta a receber autorização do Ministério do Meio Ambiente para realizar a travessia em Stand Up Paddle em mar aberto até o arquipélago de Alcatrazes, no litoral paulista, e já fez a circum-navegação de Fernando de Noronha.

Entre as melhores experiências que teve com o projeto SUPTravessias, ela destaca o contato com as espécies endêmicas de Galápagos, no Equador, a arqueologia da Ilha de Páscoa, no Chile, as belezas naturais das Maldivas, os costumes polinésios de Moorea, no Taiti, e as vilas de pescadores do Sri Lanka

Moda Agênero : Desconstrução em tecido

Os gêneros foram estabelecidos para separar o feminino do masculino e essa separação acabou fazendo com que objetos, roupas e algumas atividades também fossem designados e passassem a ser rotuladas mais adequadas para cada sexo. por exemplo: coisas mais delicadas seriam melhor utilizadas por mulheres e coisas mais brutas por homem. Mas o movimento agênero procura quebrar esses paradigmas.

Características da Moda Agênero

A moda agênero ou sem gênero evidencia que a peça deve vestir a pessoa e não o inverso, de acordo com os gostos pessoais do cliente ele irá comprar a peça no estilo que ele irá gostar e que se sentirá bem, tudo depende se a peça vai vestir bem e se a pessoa gostará do resultado, a moda agênero é nada mais nada menos que preza por você vestir o que quiser sem importar se aquela peça foi fabricada e destinada para um gênero especifico, o importante é você gostar da peça no seu corpo e utilizá-la como bem entender, enfim a moda agênero aponta geralmente coisas como estilo, individualidade e criatividade que você desenvolve brincando com peças que você gostar e assim dizer algo sobre sua personalidade.

Moda Agênero X Grandes Marcas

Muitas grandes marcas e lojas de departamento já aderiram ao mercado agênero, a Zara por exemplo tem lançado diversas coleções em tons neutros e peças mais largas, com tecidos que variam do algodão ao jeans. A C&A também foi outra empresa que abriu espaço pra moda agênero criando a coleção Tudo Lindo e Misturado que também trouxe peças versáteis para seus consumidores.

O mercado livre que é uma plataforma de compra e venda online criou uma aba em seu site e no app que disponibiliza espaço para empresas que vendem roupas agênero no seu catálogo para aumentar a facilidade de consumidores e vendedores encontrarem seu público.

A Importância da Moda agênero

Renan Gazotto trabalha como modelo, produtor de moda, artista visual e tem tantas outras habilidades que o torna único,quando contactado pedimos que ele falasse um pouco da moda agênero do seu ponto de vista e explicasse a importância desse movimento para ele.

A Moda na realidade ela é uma conseqüência daquilo que foi datado pela sociedade, masculino e feminino também foi datado pela sociedade como meninas usam isso e meninos usam aquilo mas porque a gente é barrado por querer usar uma roupa que é datada por feminina ou masculina é só uma etiqueta, só um tecido é como se fosse um adorno para deixar nosso corpo mais bonito. Então pra mim a moda agênero tem uma importância gigantesca e a quebra de paradigma não vem pra afrontar, ela vai como eu me sinto bem usando aquela peça, eu não uso uma roupa datada como feminina ou masculina pra agradar os outros eu uso pra me agradar, se ela me veste bem e se eu gostei eu vou usar e quem vê de outro jeito estão de fora dessa capsula estão vivendo em uma bolha que não deveria existir. Na minha percepção a roupa deveria ser agênero desde os primórdios e já ouve uma inversão de papel várias vezes desde o século XX pra cá o tanto que a gente já mudou, tanto que os homens usavam lingerie e as mulheres não, ois homens usavam maquiagem e as mulheres não então a gente vive uma época que está tudo inverso pra todo mundo então nós temos que mudar nossos conceitos e é muito importante vivencia a moda agênero nessa época de preconceito que a gente vive e em todas as situações e com esse governo que a gente tem atualmente nós temos que mostrar nossa personalidade mesmo a gente tem que se impor perante a moda e a sociedade e mostrar como é gratificante pra gente ser como quiser ser e a pergunta que eu deixo é por que não usar algo que eu quiser usar independente do gênero? se aquilo te serve como personalidade, conforto, maneira de se expressar se aquilo te representa se tem um significado pra você por que não usar? foi só um rótulo que colocaram naquilo tudo, então vamos tirar esses rótulos e fazer da roupa apenas uma roupa sem datar gênero.

Renan gazotto
https://www.instagram.com/p/B2b5N_eA33i/?utm_source=ig_web_copy_link

Para acompanhar o trabalho de Renan Gazotto:

Facebook: https://www.facebook.com/rezitox

Instagram: https://www.instagram.com/rezitx

Recentemente Renan Gazotto fez parte do videoclipe Ninguém é de Ninguém da Pitty confira:

O Futuro é Agênero

Se entregue a esse movimento de expressão e criatividade use e abuse das peças que quiserem, se ame e se expresse. O futuro Agênero e cada passo é importante para esse caminho se te interessa é só dar o primeiro passo.

Campanha Mercado Livre Tudo Lindo e Misturado

Black Friday terá vendas superiores a R$ 500 em Belo Horizonte

O mês de novembro é marcado tradicionalmente pelas ações de Black Friday, que surgiram nos Estados Unidos e ganharam força no Brasil nos últimos anos. Cada vez mais presente no comércio, a data deve levar milhares de consumidores ao comércio de Belo Horizonte. Segundo a pesquisa elaborada pela Fecomércio MG, cerca de 40% dos consumidores aguardam a chegada da Black Friday para ir às compras e 50% planejam gastar valores superiores a R$ 500 no período.

Neste ano, a Black Friday acontecerá na última sexta-feira do mês (29/11), estendendo-se, em alguns casos, até a segunda-feira seguinte, a chamada Cyber Monday. A cada edição, a ação se consolida no país e atrai novos clientes. “Além das compras planejadas, a data favorece o consumo pela oportunidade, tornando-se um bom momento para que o comércio invista em ações para atrair o consumidor, que, mesmo sem planos de compras, procura por preço e variedade de produtos,” explica o economista-chefe da Federação, Guilherme Almeida.

De acordo com a pesquisa, mais de 62% dos consumidores afirmaram que, mesmo sem planejar, poderão ir às compras, caso os descontos sejam atrativos. Já 42,7% dos clientes querem aproveitar os descontos para garantir os presentes das festas de final de ano.

Os artigos mais procurados serão os eletrônicos (30,1%); eletrodomésticos (21,2%) e roupas, calçados e acessórios (19,9%). Além dos preços mais baixos, as pessoas esperam encontrar mais variedade de marcas e produtos (14,6%), além de facilidade de pagamento (25%).

Comércio mais participativo

Entre os empresários mineiros, 36,3% já se planejaram para a Black Friday, sendo que 15,1% oferecerão descontos acima de 50%. Já 20,4% reduzirão preços entre 45% e 50%. “O percentual de lojas participantes deverá ser maior, uma vez que, até a realização da pesquisa, um expressivo número de empresas ainda não havia definido as iniciativas para a data”, explica Almeida.

As principais ações ocorrerão nos segmentos de outros artigos de uso pessoal e doméstico (62,5%); tecido, vestuário e calçados (58,3%); móveis e eletrodomésticos (56,3%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (55,0%) e equipamentos e materiais para escritório, informática e de comunicação (37,5%).

A expectativa de 24% dos empresários é de que as ações proporcionem um acréscimo nas vendas em torno dos 25% em relação ao volume rotineiro. Além disso, 5,5% das empresas do comércio varejista pretendem contratar funcionários temporários no período, o que corresponde a 15,1% das empresas que farão ações durante a data.

As pesquisas Expectativa para a Black Friday foram realizadas, em outubro, com consumidores da capital mineira e empresários do comércio varejista de Belo Horizonte, Contagem, Betim e Uberlândia, responsáveis pelos quatro maiores Produtos Internos Brutos (PIB) do Estado. Ambas possuem intervalo de confiança de 90% e margem de erro de 5,0 pontos percentuais.

Como começar a correr como iniciante

Novas pesquisas revelaram quão boa corrida pode ser para você – e, felizmente, isso não sugere que você faça uma sessão de corrida de uma hora cinco vezes por semana.

Em vez disso, a pesquisa, publicada no British Journal of Sports Medicine , descobriu que a corrida – não importa a rapidez, a distância ou a frequência – está relacionada a um menor risco de morte prematura.

Pesquisadores da Austrália, Tailândia e Finlândia associaram a corrida a um risco 30% menor de morte por doenças cardiovasculares e a 23% menor risco de morte por câncer, observando: “Qualquer quantidade de corrida, mesmo que apenas uma vez por semana, é melhor do que nenhuma. corrida, mas doses mais altas de corrida podem não estar necessariamente associadas a maiores benefícios de mortalidade “.

Se você é um novato completo, agora pode ser a hora de começar a correr. Aqui está como …

Não tenha pressa

Imediatamente, tentar fazer uma maratona provavelmente levará a lesões e sequelas para a vida toda. “Não há nada errado em começar com um programa de caminhada / corrida para acostumar seu corpo a isso”, incentiva Weldon. “Divida-o em intervalos, aumentando gradualmente à medida que você aumenta sua resistência. Depois de ficar mais confiante com a corrida, comece a aumentar as seções de corrida e reduzir os intervalos de caminhada”.

Andy Baddeley, duas vezes olímpico e co-fundador do The Running Channel, concorda: “Os novos corredores se cansam naturalmente mais cedo do que esperavam, e não há vergonha em caminhar. A chave para se divertir correndo é encontrar um ritmo sustentável, mas isso vem com a prática “.

Comece devagar

O mesmo princípio vale para a velocidade. “Não comece a correr muito rápido, seu corpo precisa de tempo para se adaptar às tensões da corrida, principalmente às articulações e ligamentos”, diz Weldon. “Começar muito rápido pode causar lesões e você pode sentir um esforço excessivo em apenas alguns minutos.

“Em vez disso, tente correr a um ritmo que se sinta confortável e tente manter esse ritmo por toda a distância, para que você dê tempo ao seu corpo para relaxar gradualmente.”

Relaxe sua respiração

Respirações curtas, agudas e frenéticas o cansam rapidamente e tornam sua corrida extremamente desagradável. Baddeley diz: “Tente manter a respiração relaxada. Sim, você ficará sem fôlego, mas manter os ombros para trás e a cabeça alta, concentrando-se na respiração baixa, usando o diafragma, pode realmente ajudar. Tente evitar o pânico, respirações superficiais no alto do seu peito”.

Participar de um grupo

Às vezes, a coisa mais difícil de fazer uma corrida é encontrar a motivação, e é aí que ingressar em um clube de corrida local pode fazer a diferença. Uma rápida pesquisa na Internet provavelmente revelará muitos clubes para corredores casuais perto de você.